Vem ver o que rolou de mais legal na estreia da artRave

http://gagaimages.orgOntem à noite, aconteceu o primeiro show da nova turnê de Lady GaGa, “artRave: The ARTPOP Ball” e nós, do Pelamordi, já estamos fazendo pacto pra que o show venha pro Brasil. Ao contrário da última tour, “Born This Way Ball”, o show é completamente colorido. A cantora decidiu focar no último lançamento (temos 15 faixas de ARTPOP no setlist), e deixar os álbuns passados como referência da carreira (apenas a faixa-título de Born This Way faz parte do negócio todo). Sem mais, lá vai porrada de fotos e vídeos do show:

Fotos:

http://gagaimages.org http://gagaimages.org http://gagaimages.org http://gagaimages.org http://gagaimages.org http://gagaimages.org
ARTPOP

G.U.Y.

Donatella

Fashion!

Venus

MANiCURE

Teve até pausa pra brincar com “Cake Like Lady GaGa”:

Just Dance

Poker Face

Telephone

Gente, parece que vai ter ARTPOP Pt. 2 mesmo, viu? Rolou até a apresentação de uma música nova, chamada “Partynauseous”:

Paparazzi

Do What U Want

Born This Way

Jewels And Drugs

Aura

Sexxx Dreams

Mary Jane Holland + Alejandro

Bad Romance

Applause

Swine

Gypsy

Entenda as mensagens de Lady GaGa no novo clipe de ‘G.U.Y.’

Acabamos de ver o mais novo clipe de Lady GaGa, ‘G.U.Y’ – resultado de três meses de produção e seis dias de filmagens – e temos muito a dizer sobre as mensagens presentes no material da mãe monstra. Acompanhe-nos neste protesto artístico de uma vítima do Pop:

LadyGAGA_GUY_MusicVideo001

Anjo caído: Vemos essa passagem como uma crítica ao antigo empresário da cantora, que já revelou ter demitido o homem por conta da ganância e falta de comprometimento com ARTPOP.

LadyGAGA_GUY_MusicVideo002

– O resgate: Depois de se ver desamparada, GaGa procura refúgio em um templo de Arte. A cantora já disse em várias entrevistas que ARTPOP nasceu da vontade de unir o mundo pop à arte. Depois de tomar um banho com ninfas artísticas, GaGa eleva-se revigorada.

LadyGAGA_GUY_MusicVideo003

– A ascensão: Na casa, ela se vê confiante em passar as mensagens que quer exibir. As referências a Donatella e a marca Versace mostram como mulheres poderosas e ostentação fazem parte do mundo da Arte. Não dá pra negar o fato de que GaGa volta a dançar e seduzir como em vídeos anteriores, como “LoveGame” e “Poker Face” e que entreter é um dos objetivos de seu trabalho.

LadyGAGA_GUY_MusicVideo004

LadyGAGA_GUY_MusicVideo005

– Deuses de GaGa: Em busca de um empresário ideal para derrubar a ganância da indústria fotográfica, a cantora “ressuscita” quatro de seus Deuses e ídolos para fromular um GUY perfeito. A música de Michael Jackson, a paz e a sabedoria de Ghadi e Jesus Cristo são unidas a características de um ídolo misterioso para a cantora. Nossa aposta?

LadyGAGA_GUY_MusicVideo006

– Ataque à indústria: Após invadir escritórios e substituir os homens que a exploraram com clones do DNA dos seus ídolos, GaGa quer nos dizer que ainda está no controle de tudo que produz, mesmo com atrasos e cancelamentos de clipes e singles. (Sdds ‘Do What U Want’).

Concordam com a gente? Se viram mais mensagens (ou até um diferente ponto de vista), dividam conosco!

 

VEM VER O PALCO DA NOVA TURNÊ DE LADY GAGA

Após deixar os fãs ansiosos por algumas horas hoje, Lady GaGa mostrou que finalmente tá voltando com tudo. A cantora revelou, nesta segunda-feira (17) o ESTRANHÍSSIMO palco da turnê artRave: The ARTPOP Ball. Saca só como o negócio vai ser “entrucado”:

53277a1a076f50ac108b4757_700A foto mostra que a estrutura terá quatro passarelas e pelo menos cinco pontos principais além do palco principal – que vai contar com uma espécie de castelo branco semelhante à plataforma utilizada na artRave de divulgação do álbum ARTPOP. E SEGURA, mano: as passarelas vão ser altas e transparentes, de forma que os fãs vão poder dançar embaixo do palco.

Em um dos pontos, mais próximo do público no fundo do estádio, é possível ver o novo “Monster Pit”, área inaugurada na turnê Born This Way Ball reservada para fãs que chegam mais cedo ao local do show.

O que acharam? A ‘artRave: The ARTPOP Ball” começa em maio deste ano. Cadê os lirous comprando os ingressos?

 

GAGA ANUNCIA NOVO VÍDEO E MANDA O POP SIFU DURANTE SHOW

GaGa mostrando pra geral o que é grelhar de verdade

Cadê os lirous? Manos, vamos lá: Lady GaGa tava sumida aí ela resolveu pegar todas as suas expectativas do que ela poderia apresentar durante o SWSX Festival, realizado na noite de ontem (13), amassar tudinho e vomitar em cima (quase literalmente). A cantora surpreendeu a todos ao fazer versões hiper-super-duper rock’n roll e gritando “FODA-SE, MÚSICA POP!” no final. Segura a pata e vem:

Aura Live at the Doritos #BoldStage – Lady Gaga from ~ on Vimeo.

MANiCURE Live at the Doritos #BoldStage – Lady Gaga from ~ on Vimeo.

Jewels & Drugs Live at the Doritos #BoldStage – Lady Gaga from ~ on Vimeo.

Tava tudo legal e meio doido, até que GaGa resolveu receber um vômito de tinta em “Swine”. Saca só:

Lady Gaga – Swine Live at the Doritos #BoldStage from ~ on Vimeo.

Bad Romance Live at the Doritos #BoldStage – Lady Gaga from ~ on Vimeo.

Ah, esquecemos alguma coisa? Ah, sim! O próximo vídeo da GaGa sai no dia 22 de março, na semana que vem! A moça revelou a informação numa coletiva de imprensa antes do show, mas não contou que música será. Todos ansiosos?

Lady Gaga faz performance antológica de “Artpop” no Tonight Show

1607049_655355104506986_1509978112_n

Jimmy Fallow estreou esta semana no aclamado Tonight Show e só porque “ele não é fraco”, recebeu diversos convidados e ainda ganhou de presente uma performance linda de Lady Gaga:

A cantora, que está prestes a lançar a nova turnê, conseguiu um tempo e foi lá participar desse momento importantíssimo para a tv americana. Só entre nós: Artpop é uma das minhas preferidas do disco.

Gaga também participou da brincadeira que Jimmy Falow fez: “tem muita gente que me deve dinheiro porque achava que eu nunca apresentaria este programa”:

Lady GaGa explica o que anda fazendo durante sumiço

Tô voltando, gente!

Tô voltando, gente!

Os Little Monster têm se sentido órfãos nós últimos dois meses. Depois de lançar ARTPOP em novembro do ano passado, prometer vídeo histórico de “Do What U Want” com a direção de Terry Richardson e lançar uma nova versão da faixa com Christina Aguilera, a moça parece ter desaparecido da mídia. Eis que nesta quarta-feira (29), a mãe monstra explica o que tem aprontado.

Em foto publicada na conta oficial do Instagram, GaGa aparece em frente a dois painéis: um sobre um vídeo misterioso e outro sobre o palco da nova turnê da cantora, a “artRave: ARTPOP BALL”. Não dá pra entender muita coisa do show ou pra identificar a que clipe a cantora se refere, mas espera-se que seja o de “Do What U Want”.

20140129-084638.jpg

Segredinhos, lirous!

A faixa deu uma rasteira em “Venus” (programada como música de divulgação) e se tornou o segundo single de ARTPOP. A mudança aconteceu depois que as vendas da música subiram loucamente e a gravadora da artista, a Interscope, sentiu o cheiro de dólares, muitos dólares.

Algumas horas depois, a Mãe Monstro divulgou o trailer da turnê. Saca só:

Tá na hora de lançar material novo, né, GaGa? Até a Britney já lançou o clipe de “Perfume” (e olha que o álbum da Princesa do Pop chegou ao mercado um mês depois do de GaGa).

Review do ARTPOP: " Valeu a pena esperar 2 anos pelo novo disco da Lady Gaga?"

Aqui está um dos reviews mais pedidos pelos leitores. Depois de 2 anos de folga, polêmica, cirurgia e muita polêmica, Lady Gaga está de volta para mais uma era que promete divertir e nos fazer questionar. Confiram o review do nosso colaborador Diego Toledano:

Segundo a minha biblioteca do Last.fm, ouvi as músicas do novo álbum de Lady GaGa mais de 200 vezes nas últimas duas semanas – tempo que as faixas finalizadas caíram na Internet graças ao lançamento adiantado em Hong Kong. O acúmulo de replays deve-se, além do fato de eu ser um fã declarado da novaiorquina, à dificuldade de compreender o disco. Sim, ‘ARTPOP’ não é um disco pop comercial de fácil entendimento como ‘The Fame’ e ‘The Fame Monster’.

‘ARTPOP’ é a evolução de GaGa desde ‘Born This Way’ – um trabalho com ótimas letras, mensagens mais “profundas” que os anteriores, feito às pressas, coberto em uma identidade visual confusa. Antes de analisarmos música por música, devo adiantar alguns pontos:

1) GaGa canta nesse ábum como em nenhum outro. Sim, sabemos que a loira/ruiva/morena/de-cabelo-azul canta lindamente ao vivo, mas o potencial vocal da cantora nunca havia sido explorado antes em estúdio. 

2) Pessoalmente, ainda não havia ouvido um álbum pop tão bem produzido quanto ‘ARTPOP’. Meses antes do lançamento, GaGa alertou os fãs: “‘ARTPOP’ deve ser ouvido com fones; os auto-falantes do seu computador não fazem jus à produção que estamos fazendo”. Instrumentos límpidos associados a sintetizadores eletrônicos europeus, revezamento de pólos e a voz clara de GaGa fazem de ‘ARTPOP’ uma obra-prima. 

3) Amor e sexo estão em todas as nuances do álbum, desde a mais óbvia ‘Sexxx Dreams’ até a sufocantemente produzida ‘Swine’.

Vamos lá:

Aura: Não se deixe enganar pelo violão acústico, ‘Aura’ é uma faixa dançante e escura de ‘ARTPOP’. A música, que faz parte da trilha sonora de ‘Machete Kills 2’, foi a primeira (e única?) a vazar do novo trabalho de GaGa. A falecida ‘Burqa’ é apenas a ponta do iceberg pop, perturbado e produzido do álbum, com letras fortes sobre feminismo. O break de ‘sex, dance, art, pop’ serve para indicar o que vem pela frente – além de te ajudar a chamar atenção numa festa. Love it, love it, love it. 



Venus: Gente, essa mulher é maravilhosa. Além de compor cada uma das faixas e atuar na produção instrumental de cada uma delas, GaGa resolver produzir sozinha a segunda faixa do disco. ‘Venus’ é onde percebemos pela primeira vez o potencial da voz de GaGa em estúdio. Confesso que achei as letras incoerentes quando a cantora as lançou semanas antes da divulgação do single; mas, como tudo que GaGa faz, o visual das performances da música fez com que a música ganhasse significado. GaGa, produza mais músicas sozinha, pfvr. ‘Venus’ é o início da viagem sexual espacial em que a cantora leva o ouvinte durante as duas faixas seguintes.


G.U.Y.: GaGa é uma feminista e isso fica ainda mais explícito quando prestamos atenção nas letras da terceira faixa, que falam sobre como uma mulher não é mais fraca em um relacionamento por preferir ser submissa na cama. Mas não dá pra falarmos apenas sobre as letras, porque ‘G.U.Y.’ é uma música cheia de camadas. Assim: muito mesmo. Várias referências eletrônicas trazidas pelo jovem produtor europeu Zedd, várias nuances da voz da GaGa, além de narrativas que nos levam de volta à (linda) era ‘The Fame Monster’. É a parte 2 da trilogia sexual de Stefani no álbum.


Sexxx Dreams: Pra finalizar os trabalhos sexuais, GaGa nos dá um verdadeiro orgasmo musical com ‘Sexxx Dreams’, um diálogo interno da cantora sobre como ela teve sonhos danados com outra pessoa além do namorado – cuidado, Taylor. É uma celebração ao glam rock da década de 80, com letras que mostram um conflito entre a culpa e o prazer trazido por uma “traição”mental. Assim, gente: é música pra coisar mesmo. 


Jewels N’ Drugs: Fazer featurings é um artifício arriscado e pode resultar na desvalorização do trabalho de um artista – vide Nicki Minaj. Porém, GaGa foi muito coerente na quinta faixa do álbum: ela decidiu se aventurar em um ritmo ainda desconhecido por ela nos discos e pensou ‘é melhor trazer artistas que saibam externar minha visão”. Bitch, você acertou. Duvido você não sentir vontade de dançar com essa música como qualquer outra de Jay-Z e Kanye West. Desde a a apresentação no iTunes Festival, fiquei intrigado com a música por dois motivos: a produção magnífica do DJ Whiteshadow, que faz você querer fechar os olhos e sentir a música de verdade; e por ter ficado surpreso com o fato de que a faixa não foi enfraquecida pela parceria de três rappers. 


MANiCURE: Blondie all over ‘ARTPOP’. ‘MANiCURE’ tem tudo que mais gosto em GaGa: voz arranhada, bubble-gum pop e é uma faixa empowering. A música é a favorita de Adele do álbum (tá pra ti, maninho?) e é di-ver-são pura, minha gente. É aquela que você ouve, pensa ‘calma, quero mais’ e deixa em replay por um bom tempo. Ainda assim, aconselho você a seguir em frente, porque GaGa ainda tem muito ear candy.


Do What U Want: Antes da performance da cantora dessa música no X-Factor britânico, eu pensei que era uma faixa que faria parceria com ‘Sexxx Dreams’ na vertente sexual de ‘ARTPOP’. Mais tarde, porém, vi que é uma música com profundidade despercebida à primeira vista sobre como nada pode afetar a essência de alguém – mesmo que tudo seja feito fisicamente com uma pessoa.  A voz de GaGa é purrrrrfection nos versos ‘I would fall apart if you break my heart, so just take my body and don’t stop the party’. Ah, e tem R. Kelly, gente! E preparem-se, porque a faixa é o segundo single e receberá clipe novo em breve com a direção do lindo Terry Richardson.


Artpop: GaGa sabe criar uma atmosfera que transcende a experiência de apenas ouvir música. ‘Artpop’ é o desabafo de qualquer artista embalsamado em produção eletrônica etérea. As diversas camadas da cantora estão presentes nessa também, com coros no background. É outra música do álbum que deve ser ouvida de olhos fechados, mas aconselho você a abri-los logo após ‘Free my mind, Artpop, you make my heart stop’, porque GaGa manda porrada em seguida.


Swine: No início dessa resenha disse que ‘Swine’ é uma faixa sufocantemente produzida e agora chegou a hora de explicar: os intervalos entre a bridge e o chorus (feitos por DJ Whiteshadow <3) causam falta de ar fisicamente – sério. Os instrumentos crescentes dão a impressão de que você vai sufocar, como a subida em uma montanha russa, para depois te afundar em dubstep e gritos roucos de GaGa. ‘Swine’ é a prova de que música pop não deve ser desvalorizada pelo simples fato de ser comercial/dançante. A faixa fala sobre como GaGa percebeu que a pessoa com quem está envolvida não é um lado bom na vida dela, é ‘Swine’ – termo extremamente ofensivo na cultura europeia. 


Donatella: Pega o champagne e liga a TV em Gossip Girl (sdds <3). Em homenagem à amiga diretora da Versace, GaGa inicia a música de um jeito lindo “check out: I’m blode, I’m skinny, I’m rich and I’m a little bit of a bitch”. ‘Donatella' é uma faixa que chama atenção pela produção e pelo refrão completamente catchy. Believe me: você vai ficar gritando “DONATELLA!” o dia inteiro. Embora o álbum claramente não tenha intenção de ser altamente comercial, acho que a faixa venderia muito bem como single.


Gaga virou Donatella em nova campanha da Versace

Fashion!: Moda é um dos pontos mais importantes da expressão artística de GaGa e, na minha opinião, demorou bastante pra que uma música como ‘Fashion!’ saísse. ‘Looking good and feeling fine’ será seu novo mantra na hora de se vestir. Agregados à produção impecável, versos como ‘married to the night’ mostram como a obra de GaGa deve ser analisada como um conjunto, e não algo individual. 


Já tem gente por aí comparando a música com ‘Fashion’ de David Bowie, lançada no ‘Scary Monster’ e só tenho uma coisa a dizer: ouça Bowie antes de comparar as duas músicas simplesmente pelo nome – elas são completamente distintas. 

Mary Jane Holland: fãs de ‘Blood Mary’, essa é pra vocês. Quando disse mais cedo que ‘ARTPOP’ é a evolução de GaGa desde ‘Born This Way’, eu estava falando sobre como referências do trabalho estão presentes no novo disco com nova roupagem, seja na produção ou na composição.  ‘Mary Jane Holland’ trata-se do alter ego sujinho, alternativo underground da novaiorquina. A música fala sobre uma mulher que está em contato com os desejos mais escuros que curte puxar um fumo – olhem o nome dela, pfvr, né, gente? É a homenagem de GaGa ao próprio lado menos pop e não tem como não se arrepiar quando a cantora grita ‘Introducing, ladies and gentlemen, Mary Jane Holland!’. 


Dope: Saindo da fumaça trazida por ‘Mary Jane Holland’, GaGa se arrepende de ficar chapada e traz a linda ‘Dope’, também conhecida como falecida ‘I Wanna Be With You’. A 13ª faixa de ‘ARTPOP’ mostra uma GaGa fragilizada e culpada por ter deixado vícios influenciarem no relacionamento com alguém e com vocais mais trabalhados que nunca. 


Confesso que não gostei da readaptação da balada assim que a ouvi, mas, enquanto destrinchava o álbum pra fazer essa resenha, percebi que GaGa só reajustou as letras pro que realmente queria dizer com a melodia. A faixa fica ao lado de ‘Speechless’ no ranking de baladas da cantora e já sonho com a performance no ‘ARTPOP Ball’.

Gypsy: GaGa segue na linha romântica do final do disco com ‘Gypsy’, uma mid-tempo que cresce para uma eletrônica repleta de dubstep que vai te fazer pular em casa, na balada, no trabalho, na faculdade, etc. A faixa fala sobre como é difícil conciliar um amor e uma vida de viajante. A penúltima faixa do álbum é mais uma prova da capacidade vocal de GaGa e espero que seja como ‘Hair’, que ganhou versão ao piano nos shows.


Applause: O primeiro single de ‘ARTPOP’ encerra os trabalhos de GaGa no novo álbum. A produção de DJ Whiteshadow mais uma vez brilha no disco (sério, amo esse homem), em uma música sobre como GaGa tira a energia para trabalhar dos fãs. Ao contrário do que críticos têm dito, a cantora alegou que a faixa não quer dizer que ela é uma fame-whore, e sim um agradecimento aos seguidores que a ajudaram a passar pelo período em que precisou cancelar a ‘Born This Way Ball’. A gente já não tem muito o que dizer, a não ser que é uma faixa ótima para encerrar o disco, principalmente com A-R-T-P-O-P no final (desafio você a ouvir ‘Applause’ sem fazer com as mãos). Confere o clipe abaixo:


Review escrita no dia 15/11/13 por Diego Toledano

Por fim, devemos agora aguardar por um material rico de informações e muitas perucas e shows. ARTPOP é, sem dúvida, o retorno a prestar atenção mais em Gaga – já fui muito fã em 2009/10 e fiquei um pouco sem tesão em 2011 com o Born this way e a nomenclatura “Little monsters”. Mas estou dando uma nova chance à ela e espero não me arrepender. 

PROMOÇÃO

Quer ganhar 1 disco ARTPOP? Fiquem ligados aqui no portal e em nossa fanpage. Iremos fazer sorteio valendo para todo o Brasil!

por Rafael Froner