É Friboi? Adam Levine mostra mais osso do que carne em novo videoclipe “Animals” do Maroon 5

Numa mistura de True Blood com Jogos Mortais, o novo single (que adoro) do Maroon 5 chega com clipe perigótico-gosmento-stalker. Alguns vão amar, outros vão achar grotesco. Eu curti, mais pela música. Não sou muito fã de Adam pelado (acho seeeco), mas pelo jeito a industria curte.

animals_maroon5

É Friboi?

O novo disco da banda me surpreendeu. Claro que é algo bem diferente do primeiro, aquele rock cru não existe mais, mas acredito que eles acharam uma fórmula pop-rock bacana nesse quinto disco. Animals é um dos carros chefes dele.

No clipe, Adam Levine ~como sempre~fica pelado, se lambuza e quer um amapô.

animals_maroon5_03

Oi Gata do All Nite!

Depois de muita caça, ele consegue o tão desejado, com balde de sangue e muito sexo. Vejam em HD, enfim.

animals_maroon5_02

Curtiram?

SIM!

Pelamordi assistiu: “Mesmo Se Nada Der Certo” (Begin Again, 2013)

download

Vocês já assistiram a um filme tão delícia que gostariam que ele virasse série para acompanhar os personagens todas as semanas? Eu tenho alguns assim. Um deles é o “Apenas Uma Vez”, musical irlandês lançado em 2006/7 – e que depois virou peça premiada na Broadway. A jornada dos personagens de Marketa Iglová e Glen Hansard (que ganharam Oscar com a música ‘Falling Slowly’, tema principal do filme) é tão genuína e confunde tanto vida real e ficção que não tem como não se apaixonar.

O diretor do filme era o nem tão conhecido assim John Carney. Sete anos depois, ele faz de novo. Com “Mesmo Se Nada Der Certo”, tive a mesma sensação de “Once”. Simplesmente adorável, a produção estrelada por Keira Knightley e Mark Ruffalo é capaz de colocar um sorriso até no mais gelado dos corações.

Keira Knightley in Begin Again

“Mesmo Se Nada Der Certo” traz Knightley como Gretta, uma jovem compositora sem rumo após terminar o relacionamento com Dave (Adam Levine, em sua estreia no cinema). Quase se despedindo de Nova York – após uma estadia frustrada com o amado, agora um sucesso da música -, ela chama a atenção de um produtor musical falido (Ruffalo) ao soltar a voz em uma ‘noite para compositores’, bem comum em bares de NYC.

Encantado com a voz e as composições de Gretta, ele decide investir no talento da jovem. Juntos, os dois embarcam em uma jornada que os mostra uma Nova York diferente ao passo que gravam as músicas que vão dar forma ao álbum da compositora.

rs_560x415-140328181340-1024.Begin-Again-Adam-Levine-Keira-Knightley.ms.032814_copy

Carney já nos ganha de cara, ao usar uma montagem não-linear para nos apresentar aos personagens principais. A construção do filme, aliás, é um dos pontos altos da produção. Em nenhum momento ficamos cansados daquela história ou das repetidas cenas musicais. Graças à montagem, conseguimos ser surpreendidos até o último minuto (btw, que escolha ótima a de colocar certas cenas nos créditos em vez de no meio da produção).

A propósito, as canções do filme são um deleite. Lindas, cabem perfeitamente na voz de Kinghtley. Já Levine, à vontade com o papel de popstar repentino, transforma as músicas delicadas de Gretta em sucessos que poderiam ter sido gravados pelo Maroon 5. Ruffalo, por sua vez, constrói com perfeição um tipo frustrado, visivelmente cansado da vida que leva e sem esperanças de mudança. Na cena em que avista a personagem de Knightley pela primeira vez, Ruffallo reúne todas esses elementos do personagem em um momento de catarse total.

O elenco ainda traz Hailee Steinfeld e Catherine Keener (que lástima essa atriz tão maravilhosa colecionar ‘pontas’!) em papéis menores, além de James Corden como o carismático Steve, melhor amigo da protagonista, e mais um jurado do The Voice, Cee-Lo Green (!!), que interpreta um popstar rico e famoso graças ao talento do personagem de Ruffalo.

f1db6a16cc9a57bcf5fab5fe89ffac97

Sem precisar apelar para romantismo barato ou para uma enfadonha ‘moral da história’, Carney nos mostra uma história leve tendo como o pano de fundo o verão de Nova York. Para os personagens, foram necessárias apenas algumas semanas para que suas vidas mudassem. Já eu precisei de apenas duas horas para ficar com o coração aquecido.

Adam curtchiu a voz da Keira!

Adam curtchiu a voz da Keira!

Pra quem ficou curioso, seguem aqui algumas músicas do filme (a trilha já está disponível no Spotify!):

E o novo disco do Maroon 5 "Overexposed"? Vale a pena?

Posso falar? Maroon 5 podia ficar sem ter lançado o quarto CD deles. Ouvi o novo “Overexposed” e parece um “caldo ralo do que eles um dia foram” – e olha que eles estão comemorando 10 anos de carreira em 2012.
Orkutizou?
Além do apelo 100% pop, só há letras vazias e chatinhas, apenas “mais do mesmo”. Acredito que isso é devido ao mega sucesso da diva de Adam no The Voice e ao sucesso mundial de “Moves like Jagger” (aka ‘movo como um jegue’ – como diria uns amigos meus) subiu a cabeça, afinal, até agora foi a canção deles que mais ficou na Billboard.

Tem até uma amiga minha que diz que se você ouvir o cd ao contrário (a la Xuxa), vai conseguir ouvir Adam Levine implorando pra todos escolherem qualquer canção para “ser hit”.

 

Quem lembra?
Conheci a banda em 2002, com a promoção VibeSound da Coca-Cola, que dava disquinhos com diversos hits, um deles era a excelente “Harder to breath”.



Videoclipe de “Payphone”
Mais do mesmo: Adam, diva, sendo gostosão tendo problemas com uma garotaZZzzz

O que acho…
Maroon podia ficar sem essa e não ter lançado nada. Afinal, este cd e nada é a mesma coisa. Minha dica: ouçam o primeiro, segundo e terceiro cd deles se quiserem ouvir coisa MUITO boa:
Harder to breath
The sun
Makes me wonder
Little of your time
Give a little more

E o clipe de "Moves like Jagger" de Maroon 5 com Aguilera?

A espera foi longa mas o clipe finalmente estreou.

Adam Levine (Maroon 5) carrega o clipe no corpo, esculpido e cheio de tatuagens, para a alegria dos mais serelepes. Já Aguilera pisca pra quem tiver passando.
A direção de Jonas Akerlund é nítida, seja pela produção e edição, mas é fraca. Jonas sempre faz excelentes trabalhos – até mesmo quando a música é ruim, mas vou desconsiderar porque ele deve ter ficado boquiaberto com Adam seminu e esqueceu de dirigir o clipe.

Eu curti o clipe, viu. Ainda mais porque nem estava contando com ele. Já a faixa, eu adoro. Ela sempre funciona nas festas Chickens.

E, eu já quero essa camisa aqui:

E a música de Adam Levine e Christina Aguilera "Moves Like Jagger"?

Não sei se é porque não sei assobiar e esta faixa é cheia de assobios, mas eu adorei a música do Adam Levine (Marron 5 – sim, aquele que posou nú) e Christina Aguilera (que também já posou nua).

A faixa tem uma letrinha bobinha, é verdade mas curti a sensualidade, a guitarrinha gostosa e  a assobiada. Obviamente, o rei do mojo e a rainha sujja não podia deixar de produzir algo do tipo e nós, bem, nós adoramos!

A faixa saiu hoje com 1 clipe super animado com a letra da música. Aumenta o som e vai treinando o assobio:

Adam Levine PELADO?!

O que parercia sonho para muitos se tornou realidade esta semana! Não é que o nosso querido vocalista do Marron 5, o Adam Levine, resolveu pousar nu para uma revista?

Mas calma, não é uma revista de nú masculino, mas sim a Cosmopolitan. As fotos são em prol da campanha para encorajar homens a fazerem exames de cancro da próstata e testicular! Tá, mas…acontece que a revista é destinada as mulheres…hum, tá.

Notaram o Photoshop fail nesta foto?

Para não falarem que o Adam é só um objeto de desejo de muitos (cof cof!), vamos com uma das melhores músicas do Maroon lançadas ultimamente, a deliciosa Give a little more:



Por Rafael Froner
@rafafroner

O mojo de Adam Levine


Eis que surge depois de 3 anos, para nossa felicidade, o som groove da banda Maroon 5. Seu quarto álbum “Hands all over” chega as lojas em setembro e traz como primeiro single a música “Misery”.

Já não é mais novidade a temática dos videos da banda, que trazem sempre o maravilhoso Adam Levine como o “último biscoito Negresco do pacote” – se você pesquisar pelo menos os últimos 3 clipes da banda vai entender o que quero dizer.

Para intensificar o tal poder do cantor, o “mojo” – como prefiro descrever, para o clipe de Misery foi escalado o rei dos “clipes sexys”, o mesmo diretor de Toxic da Britney e o recente All the lovers da Kylie: o Joseph Khan. Ou seja, Adam não podia ficar de fora da turma de “divas”.
Adam aparece num “pegapacapá sexual” mas com seu topete Silvio Santos intacto

Vale a pena conferir o clipe, além da música ser bem bacana – confira a letra aqui, é bom ver o vocalista levar umas porradas – mas que isso fique entre nós, que o jogador do Flamengo Bruno não veja este clipe.

Só tenho uma coisa para dizer sobre este videoclipe:

obs.: Já notaram que o Papelpop começou a utilizar o Botãoteca também? Mas comecei primeiro, tá? eis aqui a prova.