A hora de dar tchau…

o-fim_pelamordi

Sempre que a gente termina de ver um bom filme, ficamos imaginando o que vem depois de todos aqueles créditos, o que mais teria acontecido com o casal depois de todo aquele escândalo? E a fada que voltou a ter asas, ficou com o corvo? Enfim, a gente cria uma certa “intimidade instantânea” quando o nosso “santo bate” com o personagem, seja pelas características dele e pelas coisas que ele sente e fala. Por mais “esquisito”, “underdog” e “apaixonado por guilty pleasure e cultura pop” que eu seja (sim, eu sou), nesses 5 anos de blog sei que você curtiu acompanhar um pouco desse projeto, feito com tanto amor e dedicação, mas que agora fecha suas portas.

“UK?”

Os otimistas falando que “quando fechamos uma porta, uma janela se abre”. Bem, eu lembro do começo do Pelamordi, lá em 2009, eu querendo dividir minhas experiências pessoais. Compartilhar o que eu via, lia, assistia. Tudo isso com meus amigos. Quando vi, mais pessoas tinham se relacionado com o que eu escrevia, especialmente os amigos e (até) fãs dos meus antigos projetos. Em pouco tempo, aquele “diário” se tornou um ponto de encontro, divertido um pouco ácido. Sempre fui um cara muito audacioso, nunca curti fazer o que todo mundo faz e muitas vezes sigo mais o coração do que a razão. E nesse fim de capítulo, precisei ter muita força e acreditar na minha intuição.

“First i was afraid…”

Mas porque fechar? Meu leitor (e também você que adora fofocar e ver o circo pegar fogo), chegou a hora em que a vida pessoal e profissional pede mais atenção, por mais que eu trabalhe com comunicação (sou publicitário), o pelamordi também se tornou um trabalho. Um que preciso ficar ligado 24h por dia, só que esse não tem remuneração financeira. E tem um bom tempo em que tenho deixado minhas outras prioridades de lado, seja minha família e amigos, o que não é justo. Por mais que o blog seja um escape criativo, um antiestresse e uma plataforma de expressão, é necessário deixar ele de lado para seguir em frente e conquistar coisas novas. E, vale ressaltar: foi muito difícil chegar a essa conclusão.

“let’s be weird together”

Eu poderia enumerar quantas conquistas positivas tive com o portal, sei da importância que ele teve em minha vida (até consegui emprego por causa dele, pra você ter uma noção) e quem sabe também tenha feito bem para outros, nem que tenha sido em forma de sorriso. A ideia do nome dele vem disso, né? “Pelamordi!”. O sorriso dos meus amigos e leitores sempre foi o principal foco, afinal é com ele que abasteço minhas energias para continuar escrevendo, fazendo memes, vídeos e podcast. Mas não é só combustível meu, mas também de todos os colaboradores que tive durante esses anos, e foram muitos (vocês que me ajudaram ou estiveram comigo em certo momento: eu lembro de toda e qualquer ajuda). E neste último ano pude contar com meus dois bons companheiros, Diego Toledano e Camila Henriques, que somaram muito para a história do pelamordi. Obrigado por tudo, pessoal. De coração.

“Segura as telhas, Manaus!”

Me sinto muito feliz em ter chegado a esse momento, de um projeto pessoal extremamente feliz e compensatório. Quem diria? Um blog (amazonense) pessoal, praticamente um confessionário, ter chegado tão longe. Vídeos, festas, mixtapes, podcast, brindes nacionais, prêmios. Valeu muito a pena dividir esses “momentos meus” com vocês. A gente se vê por aí, obrigado por ter lido. O último desliga a luz.

www.pelamordi.com
www.youtube.com/pelamordi
www.soundcloud.com/pelamordi
www.twitter.com/pelamordi
www.acritica.com.br/tema/pelamordi
Advertisements